quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Dar valor aos Valores



Sentei no computador e comecei a escrever um novo post. Em um daqueles intervalos em que a gente pára para pensar mais a fundo o que realmente quer dizer, me pego observando à minha volta várias cartinhas que Mari (minha filhota de 6 anos) me manda quase que diariamente. Em todas elas um “TE AMO” bem destacado, muitos corações, natureza, sol, um desenho meu e um desenho dela sempre ao meu lado sorrindo. Para todos os lados que olho lá está uma cartinha, num pedacinho ou num pedação de papel. Não importa que tipo de papel, a mensagem é sempre muito carinhosa.

Eis que de repente uma ficha cai.

Quantas vezes eu realmente parei para admirar, sentir, perceber, ver quanto carinho uma criaturinha tão pequena é capaz de passar? Assim, de graça, do nada, de repente. E quantas vezes faço isso? E quantas pessoas fazem isso na vida geralmente corrida e sem tempo para demonstrações de afeto?

Ah!!!! Quão valiosos esses pedacinhos de papéis podem ser! E de uma coisa hoje eu tenho certeza: são essas as coisas simples que tanto poetas e escritores falam. As coisas simples da vida! Aquelas que nos preenchem mesmo depois de um dia turbulento. Aquelas que fazem sentido, que realmente têm valor, pois fazem parte dos nossos Valores também.

Família, esse é um dos meus Valores. E os seus? Se você soubesse quais são, escreveria os 3 principais ai, agora?

Tente! E comece a dar um primeiro grande passo!



;-)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo seu comentário!

Bjo grande.

Paula Portela